VOCÊ ESTÁ LENDO

Cravo, canela e muito cacau

Cravo, canela e muito cacau

A cidade de Ilhéus, na Bahia, ficou eternizada na mente dos brasileiros pelas imagens da novela Renascer, de 1993. Trabalhadores pisando o cacau, grandes fazendas e praias serviram de pano de fundo para a trama e aguçavam a curiosidade do telespectador. Agora a princesinha do sul – como a cidade era carinhosamente chamada por Jorge Amado – volta às telas como palco para o enredo de Gabriela, Cravo e Canela, nova novela das onze da Rede Globo.

Com seus mais de 478 anos, Ilhéus foi uma grande zona de produção de cacau, o que trouxe muita prosperidade para a cidade. Depois de uma enfermidade na plantação chamada vassoura-de-bruxa, o nível de produção caiu e o município deixou de ser o primeiro produtor mundial de cacau. Mas ainda quando se pensa em Ilhéus, a imagem que vem a mente é de trabalhadores pisando o cacau de baixo de um sol escaldante, como as mostradas em Renascer.

Ainda existem muitos resquícios da época de ouro do cacau e por isso uma visita a Ilhéus é uma viagem ao passado. Um lugar que revela muito bem a história dos fazendeiros de cacau do século XIX é o Centro Cultural Bataclan. O local era um antigo cabaré frequentado pelos coronéis e, até hoje, preserva os cenários do velho bordel.

A arquitetura e a decoração incríveis da casa causam fascínio. Entre os lugares mais interessantes está o quarto de Antonia Machadão, cafetina do bordel na época que ficou imortalizada nas obras de Jorge Amado como Maria Machadão. Na nova versão televisiva, a cafetina entra nas telas com a interpretação de Ivete Sangalo.No fundo da casa noturna, existe uma passagem secreta que era usada pelos ricos fazendeiros: os coronéis subornavam o padre para que ele estendesse a missa por mais tempo e diziam as suas esposas que iam para o Bar Vesúvio resolver seus negócios. Noentanto, na parte de baixo do bar existia uma passagem secreta que levava direto ao Bataclan, onde eles se encontravam com as prostitutas.

A hora de voltar para o bar era sinalizada pelo sino do padre, que tocava em alto e bom som para avisaros fazendeiros. A passagem do bar Vesúvio, localizado na Praça Dom Eduardo, foi desativada, mas o lugar tem outros atrativos para ser visitado, como a estátua de Jorge Amado sentado em uma das mesas. Uma homenagem muito justa, já que o escritor se inspirou nos proprietários do bar para criar os personagens Gabriela e Nacib, vividos na tevê por Juliana Paes e Humberto Martins.

Homenagem a Jorge Amado

Outra parada obrigatória em Ilhéus é a Casa de Cultura Jorge Amado, antiga casa do autor que agora recebe visitas monitoradas. Ali, o turista poderá conhecer o quarto do escritor, onde estão expostas fotos antigas e capas de exemplares de sua obra. Foi nessa casa, localizada na praça Dom Eduardo, que o escritor passou a infância e a adolescência e ainda escreveu seu primeiro livro: País do Carnaval.

A imensa casa comprada pelo pai do escritor está bem preservada, com os mesmos vitrais coloridos portugueses, mármores de carrara e móveis feitos de jacarandá.Além de toda a estrutura para ser observada, ainda há no local vídeos, objetos pessoais e histórias do escritor baiano.

Praias azul-turquesa

Ilhéus tem 84 quilômetros de praias, algumas delas de água azul turquesa.
Batuba, considerada a praia de melhor infra-estrutura, atrai surfistas pelas altas ondas. Ali está o complexo Batuba Beach, que abriga restaurantes, lojas de artesanato e áreas reservadas para espetáculos. Porém, o banho de mar não é recomendado, devido a força da correnteza e das ondas. Canabrava e Tororomba, onde estão situados dois resorts, são os lugares mais indicados para quem procura por gente bonita. Já a praia dos Milionários, que é repleta de antigos casarões, está sempre movimentada e abriga as maiores e melhores barracas à beira-mar. Algumas delas possuem até bacalhau em seus cardápios.

para saber mais: www.ilheus.ba.gov.br

por Danielle Lourenço

FOTOs: © JoÃo Ramos / Cid_Edson

 


Artigos Relacionados

Deixe um comentário

comentários

INSTAGRAM
SiGA A GENTE
Translate »