Manaus: paraíso in natura

Muito antes da chegada dos europeus, no século 16, os índios já habitavam a então Fortaleza de São José do Rio Negro. Três tribos se destacavam pela valentia: os Bares, os Tarumãs e os Manáos. Manaus começou a ser construída em 1669, por Francisco da Motta Falcão, que queria assegurar o domínio da coroa portuguesa na região. Mais tarde, em 1856, a cidade passou a se chamar Manáos, em homenagem à nação indígena. Hoje, a bravura de seus protetores permanece na aura desta terra rodeada de pequenos mistérios. As largas ruas e avenidas de Manaus, capital do Estado do Amazonas, localizada na região norte do Brasil, encantam qualquer visitante. Isso sem contar o contraponto charmoso entre a histórica arquitetura e a sofisticada infraestrutura. Manaus representa a experiência mais bem sucedida do Brasil no campo de desenvolvimento regional, a Zona Franca que conseguiu através da política autossustentável integrar economicamente a Amazônia sem prejudicar o seu patrimônio ambiental, revelado em sua maioria na forma da maior floresta tropical do planeta, a Floresta Amazônica.
Teatro Amazonas
O Teatro Amazonas brilha no cenário manauara

ACEROLA Javier Velez
A delicadeza da acerola, um dos tesouros da Floresta

Por aqui cercado de todo o universo da floresta Amazônica você experimenta a natureza em toda a sua glória, tendo como elemento surpresa a oportunidade de presenciar a junção dos famosos rios Negro e Solimões. O encontro das águas tornou-se popular, pois, por conta de uma diferença de temperaturas, elas simplesmente não se misturam, e constroem um espetáculo natural. Na toada das novas experiências, não hesite em conhecer a Alfândega e Guardamoria, já que este conjunto arquitetônico data de 1906, e se distingue por ser considerado o primeiro prédio pré-fabricado do mundo. Desde 1987, os prédios são tombados pelo Patrimônio Histórico Nacional. Ainda que não esteja top of mind dos turistas que desembarcam na cidade, o Horto Municipal de Manaus é imprescindível em sua visita, já que no interior da construção de 1969 estão exemplares de bem-te-vis, sanhaçus, beija-flores, sabiás e outras espécies de pássaros passeando sobre plantas e flores, como as helicônias, orquídeas, bromélias, manacás e flamboyants, além das frutíferas açaí, a acerola, o limão, o cupuaçu, o cacau e a manga, entre outros. Aliás, por falar em sabores, se no século 16, os pratos eram movidos pela pesca e pela mandioca, hoje seguem agradando diferentes paladares acrescidos de especiarias regionais sempre inesquecíveis. É fácil se perder nos temperos do filé de tambaqui ao molho de camarão, da tapioca ou de um grandioso baião-de-dois.

Experiências Imperdíveis em Manaus
Alfândega e Guardamoria: inaugurado em 1906 e tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional, em 1987, junto com o Complexo Portuário, o conjunto arquitetônico da Alfândega e Guardamoria é considerado o primeiro prédio pré-fabricado do mundo. Onde: Rua Marquês de Santa Cruz, s/n – Centro.

Arquipélago de Anavilhanas: distribuído entre Manaus, Novo Airão e Iranduba é um dos maiores Arquipélagos de ilhas fluviais do mundo. Possui cerca de quatrocentas ilhas de florestas virgens paradisíacas. Onde:, próximo ao Município de Novo Airão, no Rio Negro.

Encontro das Águas: do barco você vê a junção do rio Negro com o rio Solimões entre os municípios de Tabatinga e Manaus. É uma das mais impressionantes atrações de Manaus. Os rios correm lado a lado sem se misturar, devido à diferença das temperaturas, densidades e correntezas das águas. Onde: entre Tabatinga e Manaus.

Teatro Amazonas: o teatro representa uma das mais belas construções do norte brasileiro. Inaugurado em 1896, o teatro é um reflexo dos tempos áureos da borracha, que trouxe grande riqueza para a região. Onde: Avenida Eduardo Ribeiro, 659

Horto Municipal de Manaus: a construção do Horto em 1969 foi a solução encontrada para acabar com um antigo depósito de lixo, por lá é possível acompanhar bem-te-vis, sanhaçus, beija-flores, sabiás e outras espécies de pássaros passeando sobre plantas e flores, como as helicônias, orquídeas, bromélias, manacás e flamboyants, além das frutíferas açaí, a acerola, o limão, o cupuaçu, o cacau e a manga, entre outros. Onde: Avenida André Araújo, s/n – Aleixo.

Jardim Botânico Adolpho Ducke: as trilhas que levam às florestas de platô e de terra firme são o charme do Jardim Botânico de Manaus, um dos poucos no mundo a nascer com forte apelo ambiental e social no processo de urbanismo da cidade. São quase três quilômetros de floresta, com cipós, trepadeiras, troncos jovens e antigos, cogumelos, fungos e flores. Onde: Avenida Uirapuru, s/n – Cidade de Deus.

Museu do Índio: fundado em 1952, o lugar reúne mais de três mil peças produzidas por índios de diversas etnias da região amazônica. É possível ver de perto objetos ritualísticos, utensílios domésticos, armas, adornos e instrumentos musicais. Onde: Rua Duque de Caxias, 296 – Centro.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição: primeira igreja erguida após a fundação de Manaus, construída em 1695 por missionários carmelitas, com bastante simplicidade. Onde: Praça Oswaldo Cruz, s/n – Centro.

Para saber mais:
www.visitemanaus.com.br


Flávia Lelis, editora de conteúdo online e amante de viagens por natureza

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

comentários

INSTAGRAM
SiGA A GENTE
Translate »