VOCÊ ESTÁ LENDO

New Orleans é uma sulista de gastronomia vibrante

New Orleans é uma sulista de gastronomia vibrante

As ruas da cidade favorecem a caminhada. Favorecem a vida do turista que experimenta desbrava-la. A arquitetura que remete ao velho oeste guarda história em cada coluna. E uma vez em New Orleans, na Louisiana, não maneira melhor de conhecer a região se não, vivendo-a. Parte integrante das apostilas de turismo, principalmente por conta do Mardi Gras, a cidade entrou nos noticiários após o Furacão Katrina, e desde então corre para ter outros elementos celebrados, e neste ponto, a descoberta mais deliciosa é a culinária cajun, designação dada aos povos tribais expulsos do Canadá e que se fixaram na Louisiana

É em homenagem à cultura cajun que surgem pratos deliciosos à mesa, como o gumbo. Baseado um ensopado de carne, mariscos e arroz, desde 2004 ele é oficialmente reconhecido como o prato do Estado. O gumbo é tão icônico que possui cinco festivais dedicados a ele. Ainda que não tenha o mesmo status de celebridade, a jambalaya, uma mistura entre franceses e africanos, leva arroz, frango, chouriço, vegetais e camarões, e está entre as opções imperdíveis do cardápio. Aliás, uma vez na região, não desperdice a chance de provar alguns dos mais suculentos e frescos frutos do mar do país: camarões, caranguejos e lagostas a sua disposição. Se o fundo do mar não te anima, vale dizer que o Estado é um dos maiores produtores nacionais de cana de açúcar, arroz, batatas e nozes.

“Nova Orleans é o melhor lugar para se gastar US$ 6,00 ou US$ 7,00 numa refeição de excelente qualidade. Agora agregamos mais variedade de ingredientes ao nosso cardápio, o que nos permite servir a culinária internacional perfeita”, pontua Stephen Perry, CEO do Visit New Orleans. E de fato ele não está errado, se considerarmos eventos como o French Market Creole Tomato Festival, que nos próximos dias 11 e 12 de junho levará um público ansioso por música de qualidade e pratos cozinha crioula à base de tomates por menos de US$ 10,00.

Contudo, a vibração popular não distrai as panelas da cozinha gourmet. Aberto desde junho do ano passado, o Compère Lapin, da chef Nina Compton é um mix entre as escolas caribenha, italiana e francesa de gastronomia. A chef, que escolheu o Old No.77 Hotel and Chandlery como endereço, confessou ter se apaixonado por este território durante as gravações da 11ª edição do reality culinário, Top Chef, do qual sagrou-se vencedora. A fim de conquistar novos paladares, ela sugere composições de confort food à base de frutos do mar, como os camarões, vegetais, de brócolis a cenouras, além de sobremesas apetitosas, como a banana servida com caramelo de rum. Com sabores históricos preservados em seu cardápio, o Antoine’s Restaurant, mais antigo restaurante em operação contínua dos Estados Unidos – são 175 anos – e criador das famosas ostras a Rockefeller, é onde você prova da versão clássica de Nola. E não se arrepende, nem por um segundo.

O que pedir?
Se você é o tipo de turista sempre disposto a experimentar a culinária típica do lugar que visita, não vai se arrepender de seguir a tradição em Nova Orleans, e para não começar literalmente do zero te damos algumas dicas do que escolher no cardápio.

Ostras
Caranguejos com milho e batatas
Shrimp po’boy (sanduíche de camarão empanado)
Gumbo (ensopado de carne, mariscos e arroz)
Beignet (massa frita polvilhada com açúcar)
Jambalaya (ensopado de arroz, frango, chouriço, vegetais e camarões)
King Cake (bolo português típico do Mardi Gras)

COMO CHEGAR
Consulte a Copa Airlines sobre voos para New Orleans, há opções de voos diretos entre o Brasil e a cidade norte-americana

Para saber mais:
Visite Nova Orleans www.facebook.com/visitenovaorleans
Visit New Orleans www.neworleanscvb.com


Flávia Lelis, editora de conteúdo online e amante de viagens por natureza

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

comentários

INSTAGRAM
SiGA A GENTE
Translate »
>