Minha primeira vez no Caribe

A pauta chegou à redação: o destino da próxima viagem seria Barbados. Barba o que? Sim, até então nunca havia ouvido falar da ilha. A primeira atitude foi a famosa googada que não resolveu nada, a não ser a localização geográfica, que me ajudou a colocar Barbados no meu mapa mental e a perceber que eu estrearia no Caribe. Depois do desembarque na capital, Bridgetown, olhei para todos os cantos na expectativa de descobrir o mar. E nada. Alguns minutos de carro com a perturbação de ver o motorista do lado contrário – em Barbados a direção dos carros segue o modelo inglês – e eu desembarcava no primeiro hotel, onde meu quarto mais se assemelhava a um apartamento de classe média.

A curiosidade me levou do quarto à sala, e da sala à varanda. Ao abrir a porta e olhar para o lado esquerdo, lá estava a praia escondida entre imensas árvores. Em meio aos troncos era possível ver o azul mais encantador de qualquer paleta Pantone. Aquele tom impossível de descrever, quanto mais de esquecer. Apenas sorri com a minha descoberta. A pressa só me permitiu o zoom da câmera. Permaneci em Barbados mais cinco dias. E em nenhum deles me aproximei do mar. Foram dias de destilarias, compras, limonadas, salsa, macaroni pies e rum. Muito rum. Com coca-cola, no meu caso. Na verdade, o mar caribenho se apresentou no meio de um dos tours, convidando a um mergulho com tartarugas marinhas. Porém, essa repórter não sabe nadar e considerou a ideia um pequeno suicídio.

Último dia. Última tarde até a partida para o Brasil naquela noite. Biquíni aposto, óculos e câmera. E por uns 30 minutos o Caribe de Barbados foi todo meu. Trouxe cada onda na memória. Areia fina e branca sob os pés. A temperatura agradável do mar, aquela cor incrível. A minha primeira caribenha foi de sentimento particular. Como numa relação amorosa, você tem que vivê-la para entào entender. A despedida da ilha foi com pássaros típicos dali, com o por do sol e com cantadas dos barbadenses que não se contiveram diante do brazilian bikini. Depois de Barbados, em 2011, veio a beleza caribenha de Panamá, República Dominicana e Cuba. Contudo, contrariando a vibe de toda primeira vez, nada se comparou à emoção deliciosa daquele primeiro encontro no alto da varanda.


Flávia Lelis, editora de conteúdo online e amante de viagens por natureza

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

comentários

INSTAGRAM
SiGA A GENTE
Translate »
>