VOCÊ ESTÁ LENDO

Medo que leva à liberdade

Medo que leva à liberdade

Tenho medo de altura, o que por si só seria um contra-senso para quem escolhe trabalhar com turismo e com isso andar de um lado para outro de avião. Aliás, voar de um lado para outro. Mas a paixão pelo que faço ajuda, e muito, a superar os desafios, e, pelo menos, embarcar num avião já não é um problema, embora entre uma aterrissagem e outra já tenha encarado muitas turbulências, incluindo aquelas que nos fazem querer qualquer telefone direto da mesa de Deus. Falei da questão da altura porque ao longo das reportagens pela Brasil Travel News, tenho a oportunidade de me jogar em experiências inesquecíveis a alguns metros do chão. A primeira delas foi em Barbados, quando superei cerca de 30 metros de altura ao deslizar pelos cabos de aço das tirolesas que ligam a floresta do parque Aerial Trek Zipline Adventures, em Saint Thomas. Foi demais! A minha companhia eram as copas das árvores.

Em Puerto Varas, no Chile, subi um bom trecho de carro pela estrada 225 Petrohué e depois de teleférico fui até o Vulcão Osorno, que tem 2652 metros de altura. Ali, coube coragem para enfrentar a verticalidade e também o frio, já que nos meses de janeiro, fevereiro, junho, julho e dezembro, o vulcão fica encoberto de neve. Só vivendo para você entender quão rica é esta experiência, somado ao fato de que Osorno entrou em erupção pela última vez, no século 19, quando Darwin circulava por essas bandas. Embora voar já não seja um mistério, a ida a Bocas Del Toro, no litoral panamenho foi memorável, pois cheguei à paradisíaca ilha a bordo de um avião turboélice, sem marcação de assento e composto por umas 30 poltronas. De fato, mais parecia um ônibus com asas. O barulho dele ao ser ligado, novamente me fez querer o celular do Papa, de Deus e de algumas santidades. Apesar do aperto, havia serviço de bordo feito pela única aeromoça, que quase ficou sem assento no voo de volta.

Por fim, no deserto de Wadi Rum, na Jordânia, do topo de um pequeno penhasco, vislumbrei o por do sol mais indescritível e inesquecível da minha vida. Cercada de areia e montanhas por todos os lados, vi o medo dar lugar à liberdade. Todo o estresse e cansaço foram soprados pela brisa, e nunca contrariar o medo de altura valeu tanto! Trouxe lá do alto um momento particular e uma paisagem que ficará para sempre na minha memória.

Na foto, a jornalista e amiga Rossana Silva em Wadi Rum.


Flávia Lelis, editora de conteúdo online e amante de viagens por natureza

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

comentários

INSTAGRAM
SiGA A GENTE
Translate »
>